Fonte: Jornal da Cidade Online

O pesquisador e historiador Hugo Studart lança nesta terça-feira (17) em Brasília o livro ‘Borboletas e Lobisomens’. A obra trata do assunto repressão nos tempos de chumbo e desvenda os segredos da Guerrilha do Araguaia. Studart, para confecção do trabalho, acessou mais de 15 mil páginas de documentos secretos das Forças Armadas e as memórias de guerrilheiros sobreviventes, de militares e de camponeses.O resultado da obra é uma trama que prende a atenção do início ao fim.

Uma revelação contida no texto chama a atenção dos mais curiosos. Criméia Almeida, codinome ‘Alice’, ex-guerrilheira indenizada pela Comissão da Verdade, que alegou ter sido torturada grávida ao reivindicar o benefício, mantinha um caso amoroso com Joaquim Artur Lopes de Souza, o ‘Ivan’, militar que a interrogara. Das mulheres presas no Araguaia, só Criméia alegou ter sido torturada.

No Hospital das Forças Armadas, onde deu à luz, Crimeia foi assistida por Léa, mulher do general Antônio Bandeira. Coube a “Ivan” devolver a Criméia à casa dos pais, em BH, em 1972. Ele ficou na cidade uma semana e a visitaria várias vezes, segundo o livro. O livro conta ainda, que em 1973 Criméia levou ‘Ivan’ ao local no Araguaia onde foram executados 4 guerrilheiros, inclusive o pai do seu filho.

 

SINOPSE

Durante os anos mais repressivos da ditadura militar brasileira, 79 jovens instalaram-se no coração das selvas amazônicas, sem armas e provisões, para promover uma revolução socialista no Brasil. Este episódio é conhecido como Guerrilha do Araguaia e é um dos acontecimentos mais obscuros do regime militar no Brasil.

Fruto de um extenso trabalho de pesquisa, que incluiu pesquisas de campos, entrevistas, consultas a documentos históricos e participação nos grupos de buscas a desaparecidos no Araguaia promovidos pelo Governo Federal, este livro consiste em uma obra fundamental sobre a Guerrilha do Araguaia, na qual o autor desvenda o episódio a partir do relato da história de seus participantes – guerrilheiros, militares e camponeses. O resultado é um texto com incontestável rigor histórico e científico e contornos de romance ficcional.

O livro conta ainda com fotografias, dados dos guerrilheiros, militares e camponeses, e extensa bibliografia sobre o tema. Uma obra enciclopédica e definitiva sobre a Guerrilha do Araguaia.

 

 

Disponível em: https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/10723/livro-revela-que-ex-guerrilheira-teve-caso-amoroso-com-o-militar-que-a-interrogou